16 de mai de 2011

Curiosidades sobre o cão guia

Sempre que o assunto são os cães guia, noto duas coisas que acontecem e que levam a um entendimento errado de como eles trabalham. Por um lado, subestimam a capacidade deles, pelo fato de desconhecermos como funciona a inteligência animal. E por outro, superestimam as capacidades do cão, atribuindo a ele algo que pensam que o deficiente não é capaz de fazer.

O erro mais clássico é "Como o cão sabe para onde levar o dono?" - E eu respondo, ele não sabe.

Este é um caso onde estão superestimando as capacidades dele. Os cegos, em geral, sabem onde estão e para onde vão. É meio bobo escrever isso, mas é importante ressaltar; não foram poucas as vezes na rua que me perguntaram se eu sabia para onde estava indo. Com isso em mente, a pergunta que vem é: como você se localiza? E a resposta é uma daquelas que, na teoria é simplista e na prática é complicada, mas vamos lá. Por meio dos sons do lugar, noção de espaço, pontos de referência (calçada, pontos de ônibus, etc), eu sei onde estou. Eu sei que se sair da minha casa e descer uma quadra estarei na rua tal com tal... se for para a direita vou para tal rua, e assim continua. É justamente assim que o cão trabalha. Os cegos dão os comandos para ele: frente... para o meio fio, esquerda, frente... etc. Resumindo: o cego sabe para onde vai, o cão leva ele até pontos específicos do caminho.

Por esse motivo, é necessário que o cego tenha tido um curso de mobilidade com a bengala antes de receber o cão. O trabalho é conjunto, a tomada de decisões é coletiva, a responsabilidade é da dupla e não só de um indivíduo.

Continuando na série dos maiores erros de como "funciona um cão guia", erros vão acontecer. Não é como pensam algumas pessoas: "uma vez treinado nunca esquece". É necessário que sempre se refaça exercícios que fixam a maneira a qual ele deve agir em determinadas situações. 

O principal motivo pelo qual um cachorro comete erros é porque se distraiu com algo. Cheiros, pessoas, etc. Cabe aqui relembrar o que muitos já sabem ou deveriam saber: nunca mexa com um cão que está trabalhando (guiando uma pessoa cega), pois você pode distraí-lo.   Ele precisa se concentrar ao máximo no trabalho e, quanto mais pudermos facilitar essa tarefa para ele, melhor. E não é só isso. Esses cães sabem diferenciar quando estão trabalhando e quando é "hora pra brincadeira".  Ou seja, uma disciplina é imposta, o que ajuda e muito no trabalho dele.

Outro assunto que também me perguntam com frequência: Como funciona a vida dele? Com que idade ele começa a ser treinado?

Os cães ficam até um ano ou um ano e meio de idade com uma família adotiva, a qual cuida dos cães e ensinam bons modos. Após esse período, eles recebem um treinamento de 5 meses com o treinador, e o último mês de treinamento é feito junto da pessoa que usará o cão.

A maioria se aposenta perto dos 9 a 10 anos de idade, mas não existe uma regra que defina bem isso.

O cão guia é uma ótima alternativa para muitos deficientes visuais, e é uma pena que o seu número seja muito pequeno ainda no Brasil. Há vantagens e desvantagens, mas todos que conheci até hoje e que andaram com um cão guia só se lembraram das vantagens. É uma liberdade de caminhada não experimentada antes... é como enxergar novamente.


Lucas Radaelli - Deficiente visual e usuário de cão guia
Twitter: @LucasRadaelli

6 comentários:

  1. Muito bom o texto. Bem elucidativo. Parabéns.

    Espero que possamos cada vez mais ter informações pois assim o preconceito perde espaço.
    Lucas, o conheci no Jovem Nerd, e desde lá te admiro. A forma como você encara os desafios, o bom humor que leva a vida. Muito bom isto. Parabéns e continue assim.
    Só uma coisa que fiquei com dúvidas, você é programador, correto? Como funciona? Como faz pra desenvolver?
    Poderia fazer um Podcast só sobre isto, o que acha?

    ResponderExcluir
  2. Luuucas, é sempre muito interessante saber quais os mitos que você recebe por partes das pessoas no seu dia a dia. A maioria das pessoas são leigas simplesmente por não ser ou conviver com um cego, não por má vontade nem nada. É como aquela conversa que tivemos esses dias, todo mundo tem curiosidade um dia, rss.. Hoje recebemos uma dose aqui do Nerdcast e do blog, rsss.. Beijos meu e da "minha amiga", se chama Tereza, viu? Hahaha.

    ResponderExcluir
  3. blz de materia fred uma duvida com as restrinçoes em algus estabelecimentos a nao permitir animais. como hotel, restaurantes, o cao guia a lei permite que eles entrem ..so uma duvida um abraçao fique com deus...

    ResponderExcluir
  4. Bela matéria, realmente é um trabalho em conjunto do Cão e do Dono, quem quiser ouvir o nerdcast com o Lucas só clicar ai http://jovemnerd.ig.com.br/nerdcast/nerdcast-256-cegos-nerds-e-loucos/

    ResponderExcluir
  5. Realmente e um assunto interessantíssimo, que deve ser mais divulgado, principalmente nos locais de grande acesso como:Hipermercados, correios, bancos etc. Um dia destes vi um
    Jovem com deficiência visual sendo barrado seu acesso com o cao guia,ao super mercado devido a falta de informação dos funcionários.

    ResponderExcluir
  6. Realmente e um assunto interessantíssimo, que deve ser mais divulgado, principalmente nos locais de grande acesso como:Hipermercados, correios, bancos etc. Um dia destes vi um
    Jovem com deficiência visual sendo barrado seu acesso com o cao guia,ao super mercado devido a falta de informação dos funcionários.

    ResponderExcluir