8 de ago de 2011

Acessibilidade no auto-atendimento da Caixa Econômica Federal


A CAIXA foi criada em 1861 e, desde então, é o principal agente de políticas públicas do Governo Federal, sendo o maior banco público da América Latina. (Fonte: Site da CAIXA)

Esta é a Agência da Rua Cândido Mariano, em Campo Grande, MS, onde avaliamos a acessibilidade do auto-atendimento. Confira!

Esta é a entrada do auto-atendimento do estabelecimento bancário, onde a calçada apresenta piso tátil e revestimento do piso com superfície firme, regular e antiderrapante. Há piso tátil direcional e de alerta no lote à frente da entrada. O letreiro apresenta um bom contrate de cores e letras com fonte adequada.

Piso tátil de alerta e direcional de concreto, adequado para áreas externas, porém o contraste de cores está baixo, já que a calçada é cinza e o piso azul (a cor dos revestimentos está desgastada).

Se a calçada tivesse uma tonalidade cinza mais claro, o contraste seria maior e não teria problemas quanto ao ofuscamento da visão.

Porta de entrada do estabelecimento, com sinalização visual e tátil (Braille) no vedo adjacente. A explicação quanto ao mecanismo de abertura da porta está em forma visual e em Braille, ao lado da porta. Acima do botão que aciona sua abertura também existe um texto (informação visual), mas não existe informação tátil (Braille ou texto em auto relevo).

O Símbolo Internacional de Acessibilidade está indicando que o espaço e mobiliário deste estabelecimento bancário de auto-atendimento é acessível ou utilizável por pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

O Símbolo está representado corretamente, com a figura de cor branca e fundo azul, porém a figura está em cima do vidro e a parede abaixo é azul. Por estar em cima de um vidro, o reflexo gerando dificulta a visualização do Símbolo.
Porta com vão livre satisfatório, mas é necessário muita força para realizar sua abertura.
No ambiente interno do estabelecimento existe um trecho com piso tátil de alerta e direcional, de material emborrachado, indicado para ambientes internos, pois, se este material estiver molhado, torna-se escorregadio, colocando em risco a segurança de qualquer pessoa.

Ao fundo da foto, no canto direito, existe um extintor de incêndio, o qual é um obstáculo suspenso, já que sua parte superior tem maior volume do que a base. Neste caso, o extintor deveria estar corretamente sinalizado com o piso tátil de alerta para evitar colisões, e não somente apresentar a sinalização visual.

O piso tátil conduz o deficiente visual a um caixa acessível e à entrada (porta giratória) do banco.

Em todos os caixas eletrônicos existe uma placa solicitando que o cadeirante faça aproximação lateral para utilizar o equipamento. Porém, na maioria dos caixas, existe um cesto de lixo, que pode atrapalhar esta aproximação.

Este é o único caixa eletrônico que possui sinalização tátil de alerta e direcional. Ao lado deste caixa existe um “balcão”, onde se pode descartar papéis, porém sua sinalização visual é deficitária e a tátil não existe.

O caixa não é acessível para pessoas com baixa estatura e anões, pois, além de não conseguirem visualizar a tela, o teclado é horizontal e avança internamente, dificultando a visualização e a digitação.

Não há balcão acessível que permita, por exemplo, a aproximação frontal de um cadeirante (como o mesmo poderá preencher um envelope de depósito?)

O caixa é acessível para cadeirantes, permitindo a aproximação lateral. Possui também saída para fones de ouvido, porém onde estão estes fones? Como um deficiente visual irá solicitar estes fones se for retirar dinheiro no final de semana?

Todos os teclados dos caixas de auto-atendimento seguem este padrão, onde as teclas numéricas têm o mesmo arranjo do teclado de telefone, com o número 1 no canto superior esquerdo e a tecla do número 5 com um ponto em relevo no centro.

Observando internamente a porta de entrada e saída, podemos verificar uma placa com informação visual, indicando que esta também é à saída de emergência. Quando há no espaço ou edificação  uma saída de emergência, esta deve possuir sinalização visual, tátil e sonora. Neste caso foi encontrado apenas a visual (placa com figura de bom contraste e texto objetivo) e sinalização tátil (Braille).

Ao lado da porta, encontramos a sinalização visual. Existe o texto e, logo abaixo, a sinalização em Braille. Porém, nota-se o desgaste das letras, dificultando a leitura (SAÍDA DE EMERGÊNCIA).

Esta é a maçaneta da saída de emergência, a qual possui um mecanismo de acionamento não acessível, já que o usuário necessita de destreza e força nas mãos para utilizá-la.

Além desta maçaneta não ser acessível, em uma situação de emergência (um incêndio, por exemplo) ela pode aquecer e queimar a mão de quem tentar realizar o seu acionamento. Vale ressaltar que a abertura da porta não é suave e requer muita força.

Maria Alice Furrer
Fotos: 17/07/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário